ÚLTIMAS NOTÍCIAS / Avaliação do sistema:
 
COMISSÃO EMITE RELATÓRIO FINAL SOBRE A SITUAÇÃO DA SAÚDE LOCAL
 
23/04/2018
Fonte: assessoria

Uma Comissão Especial criada através de Portaria número 043/2017, do Gabinete da Presidência da Câmara Municipal de Prudentópolis, em atenção ao Requerimento formulado pelas Vereadoras Carina Gasparin Rampi e Soraia Valéria Bubniak, efetuou um completo trabalho de averiguação e avaliação do sistema de saúde pública local, envolvendo tanto a cidade como o interior, trabalho que foi desenvolvido por aproximadamente noventa dias. A Comissão foi composta ainda pelo Vereador Áudio Charachouski e, nesse tempo, efetuou dezenas de visitas aos mini postos de saúde da cidade e interior, hospitais, centro de atendimento e farmácia municipal, caps, unidade de fisioterapia, pensão de apoio a pacientes, casa de apoio, laboratório, transferências de pacientes fora do município,além de manter oitivas e reuniões com diversos representantes de segmentos como Secretaria Municipal de Saúde, Conselho Municipal de Saúde, Comissão Municipal de Mortalidade Infantil, Auditoria da Saúde, Departamento de Controle de Endemias, Departamento de Vigilância Sanitária, direção de hospitais, dentre outros segmentos ligados ao setor.

         Todo esse levantamento de dados e situações, devidamente registrado com imagens e documentos, resultou na elaboração de um Relatório Final da Comissão Especial, o qual foi apresentado durante uma audiência interna da Câmara Municipal, reunindo vereadores e representantes de todos os setores envolvidos da municipalidade, onde vários pontos foram discutidos e analisados, bem como foram levantadas as prioridades de atendimento conforme a necessidade mais urgente, de aspectos que afetam mais diretamente a qualidade do trabalho e atendimento à população. Agora, a comissão solicitou um cronograma de trabalho de parte dos segmentos da saúde, para continuar esse acompanhamento de execução de serviços, aplicação de melhorias e alterações necessárias, além de implantação de novos tipos de atendimento, justamente para suprir e aprimorar os serviços de saúde oferecidos pelo município.

         A Comissão também voltou sua atenção aos casos de mortalidade infantil, os quais sempre preocupam. Dentre os fatores identificados como de risco estão infecções do trato urinário, infecção vaginal, hipotireoidismo, tabagismo e histórico de morte infantil anterior, sendo que metade das mortes registradas refere-se a casos de infecção urinária. Outro ponto observado é que metade dos bebês pesaram menos de três quilos ao nascer. Em regiões mais distantes do interior, como do Distrito de Jaciaba, houve casos que, segundo dados, ocasionados pela distância da sede e de falta de maiores informações das pacientes sobre a gravidade da questão, e atendimento contínuo no periodo de gestação.

RELATÓRIO FINAL:

 

FARMÁCIA CENTRAL

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Todo o Município, total de 24 unidades.

FUNCIONÁRIOS

01 farmacêutico: Fabrício – Diretor do Departamento de Farmácia e Bioquímica.

01 funcionário concursado.

01 estagiário.

01 bioquímico.

Ideal seria 01 (um) farmacêutico para cada 7.000 (sete mil) habitantes.

PROGRAMAS

Componentes especializados, com aproximadamente 540 pacientes.

Farmácia básica.

Hiperdia.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Executar programas do Ministério (assistência farmacêutica).

Transporte adequado para os medicamentos (ar condicionado e caixa térmica).

Um carro certo para buscar medicamentos na Cidade de Guarapuava.

Armários com cadeados nas unidades.

Contratação de mais um bioquímico.

Cargo de farmacêutico responsável não deveria ser efetivo?

 

UNIDADE DE FISIOTERAPIA

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Todo o Município.

CADASTRADOS

Aproximadamente 700 (setecentas) pessoas na fila. O tempo de espera pode ser de até 04 (quatro) anos.

FUNCIONÁRIOS

04 fisioterapeutas.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Ao realizar atendimentos domiciliares, geralmente judicial, o trabalho fica ainda mais represado.

Precisa de mais eletrodos e faixas elásticas, os quais se desgastam facilmente.

Adequar o banheiro para cadeirantes, inclusive com barras de apoio, janela e vaso sanitário adequado.

Impressora e instalação do IDS.

HOSPITAL SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Todo o Município.

MÉDICOS

Doutor Wolodymir.

Doutor Canderói.

Doutor Vitor.

Doutora Juliana.

PRONTUÁRIOS

177 por mês.

Ambulatório de ortopedia funciona de segunda a sexta feira, nos períodos da manhã e da tarde.

OBSERVAÇÕES

Adequação da área física de acordo com os critérios exigidos (normas do RDC 2002).

Limpeza primorosa.

Dificuldades financeiras relativas aos repasses do Estado (questões burocráticas), diminuição do fluxo de convênios e particulares, diminuição de partos em geral pela implantação da linha guia mãe paranaense.

Maioria das vezes, elogio do atendimento de parturientes e gestantes.

Abrange o ambulatório de ortopedia.

SANTA CASA DE MISERICÓRDIA - PLANTÃO 24 HORAS

                Divulgar frequentemente as finalidades do plantão 24 horas e os atendimentos nas ESF e UBS.

                Aumentar a equipe de atendimento direto ao paciente e também a de serviços gerais.

                Definir ambulância e equipe de deslocamento nos casos de transferência.

                Estudar uma forma de não transferir pacientes de um hospital para outro dentro do Município (HSCJ X S. CASA).

                Reativar plantão no centrão durante o dia, ao menos parcialmente, para atender a demanda que não se encaixa no plantão da Santa Casa, mas que por outro lado não pode esperar um agendamento para 3 a 5 dias depois. São os casos que se locomovem do plantão para o centrão, do centrão para o plantão, sem resolução.

 

SANTA CASA DE MISERICÓRDIA – HOSPITAL

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Todo o Município, inclusive plantão 24 horas.

EQUIPE DE TRABALHO:

PLANTÃO.

HOSPITAL.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Muitos pacientes recorrem ao plantão, sem estarem incluídos nos critérios de urgência/emergência, sobrecarregando o plantão e levando à conclusão que o atendimento primário está falhando ou não é divulgado adequadamente.

Devido à grande procura, a espera se torna longa para muitos pacientes.

Transferência de parturientes da Santa Casa para o Hospital Sagrado, devido ao DIA-SUS? A noite é internado o paciente na Santa Casa, e ao amanhecer é transferido para o Hospital Sagrado.

O aspecto de limpeza da área física deixa a desejar.

Banheiros do plantão sujos, paredes sujas em alguns cômodos.

Reclamação de algumas parturientes acerca da demora em retornar o atendimento após o parto, ficando na mesma condição em que saiu da sala de parto por várias horas.

Relatos de não se encontrar o médico em alguns períodos.

Do exposto acima, conclui-se que mesmo havendo um excesso de procura ao plantão, a equipe de apoio do hospital parece estar defasada, tanto para os cuidados diretos do paciente, como a manutenção da limpeza da área física.

Quanto à remoção dos pacientes encontra-se dificuldade em obter vagas, além de equipe e ambulância de deslocamento.

 

 

CAPS AD e CAPS TM

Ambos tidos como insatisfatórios para renovação de licença sanitária.

 

USF – ANGELA MARIA MACHADO (CLÍNICA DA MULHER)

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Região central e áreas descobertas do município (Manduri e Rio dos Patos).

FUNCIONÁRIOS

Dr. Audevir (Revisão de PIV uma vez na semana).

Dr. Josué.

Dr. Norton.

Dra. Karina.

Dra. Soraia.

03 enfermeiras: Juliana, Ana e Camile (Mais uma atualmente em licença – Elisa).

05 técnicas de enfermagem.

01 recepcionista.

03 auxiliares em pré-natal.

04 auxiliares em puericultura.

Sem atendimento odontológico.

02 auxiliares de serviços gerais.

CONSULTAS

10 consultas.

198 gestantes.

153 alto risco.

Ginecologia, 16 consultas, três vezes na semana.

PROGRAMAS

Puericultura.

Planejamento familiar.

Pré-natal.

Vacinas.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Falta seladora e água destiladas.

Não funciona autoclave.

Faltam 04 aparelhos de ar condicionado e TV 40 polegadas para programas educativos.

Dificuldade com ecografias (liberação de AFS para Dr. Roberto realizar as ecografias/laudos de transvaginais).

Wap para lavar as calçadas

Problemas com o trinco da porta

Local de acondicionamento de medicamentos é inadequado.

CENTRÃO

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Centro, Vilas sem ESF/UBS, Vila das Flores, Vila Santana, Vila Delmira, Vila Beraldo.

FUNCIONÁRIOS:

06 médicos.

02 enfermeiras.

05 técnicas em enfermagem.

03 TFD: Rosana CIS, João TFD, Valdivino Rocio.

04 auxiliares de serviços gerais.

NÚMERO DE CONSULTAS

200 por dia.

NÚMERO DE PACIENTES CADASTRADOS

Aproximadamente 33.215 pacientes.

PROGRAMAS

Hanseníase e TB.

Ambulatório de feridas.

Agendamento: tempo de espera aproximadamente 04 a 05 dias, sendo o ideal 01 dia.

Triagem: Peso /PA.

Avaliação: 70% aprovam, 30% não.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Projeto novo para sala de esterilização/expurgo.

Mais consultas.

Manutenção: limpeza, dedetização.

Aparelho de ar condicionado.

Aparelho revelador (digital ou químico).

 

 ESF CASA FELIZ

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Rua Sagy Naked, Habitar Brasil, Linha São João, Linha Barra Grande, Parte da Vila Iguaçu.

FUNCIONÁRIOS:

02 médicos. Dra. Luiza e Dr. Fabio (2ª feira).

01 enfermeira.

01 técnica de enfermagem.

01 estagiário de farmácia.

01 Dentista (semana toda, dia todo).

04 serviços gerais.

04 agentes comunitários.

NÚMERO DE CONSULTAS

28 por dia.

NÚMERO DE PACIENTES CADASTRADOS

Aproximadamente 3.000 pacientes.

PROGRAMAS

Puericultura.

Pré-natal.

Hiperdia.

Idoso.

Preventivo.

Vacinas.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Manutenção da área externa.

Dedetização.

Calçamento ao redor do posto para evitar bichos peçonhentos.

Mais cadeiras.

Banheiro: volta esgoto pela pia quando chove muito, precisa de ralo com tampa para não voltar o cheiro; falta adequação para cadeirante.

Inalações, consultas, curativos, pré-consultas na mesma sala.

Material para trocar sonda.

Odonto: falta raio-X e instrumentos.

Dificuldades com remédios básicos (buscar na farmácia central).

 

 

ESF VILA DELMIRA

Obra em construção.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Inverter as aberturas das portas dos banheiros com acessibilidade.

Colocar barras de apoio.

Elevar nível do vaso sanitário.

Avaliar o local da lavanderia.

Expurgo sem pia de inox.

 

ESF – VILA DA LUZ

Imóvel alugado e sem placa de identificação.

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Vila da Luz, Jardim Brasil, Loteamento Felema até a rotatória.

FUNCIONÁRIOS:

01 médico em tempo integral. Atende 32 consultas por dia, além das emergências.

01 enfermeiro.

02 técnicas em enfermagem.

02 agentes comunitários de saúde.

01 auxiliar administrativo.

NÚMERO DE CONSULTAS

3.000 por dia.

NÚMERO DE PACIENTES CADASTRADOS

Aproximadamente 2.000 pacientes.

PROGRAMAS

Puericultura.

Hiperdia.

Idoso.

Vacinas.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Paredes inadequadas.

Imóvel alugado.

Banheiro sem barras de acessibilidade.

Necessário:

Impressora e computador.

Ar condicionado no consultório médico.

Pia de inox.

 

UBS – CACHOEIRINHA

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Barra Seca 1ª, 2ª e 3ª sessão, Santana, Barra da Areia, Pelechate e Bairro da Rosa.

FUNCIONÁRIOS:

Atendidos pela equipe volante norte

01 médico. Doutor Celso. Atendimento nas quintas feiras, com 22 consultas durante o dia todo. A fila de espera encontra-se em duas semanas.

01 enfermeira: equipe volante.

01 técnico de enfermagem. Toninho.

PROGRAMAS

Puericultura.

Hiperdia: 72.

Idoso: 66.

Vacinas.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Sala de pré consulta junto com a de curativo e puericultura.

Sem banheiro adaptado.

Poço que vaza continuamente, alagando a frente da unidade.

Agua imprópria para consumo.

Rachadura na parede externa, que surgiu na emenda do posto após a perfuração do poço.

Alimentação providenciada pela esposa do técnico, falta carne para todos.

Não tem autoclave.

Sem pias de inox.

Faltam 03 computadores.

Faltam pelo menos mais 04 salas.

Falta o número de consultas.

Dificuldade de comunicação. Necessário de um telefone celular rural.  

 

 

UBS – Linha Paraná

 

  • Faltam salas;
  • Paredes inadequadas;
  • Pia de louça;
  • Fossa próxima a um poso.

 

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Barra Seca 1ª, 2ª e 3ª sessão, Santana, Barra da Areia, Pelechate e Bairro da Rosa.

FUNCIONÁRIOS:

Atendidos pela equipe volante norte

01 médico. Doutor Celso. Atendimento nas quintas feiras, com 22 consultas durante o dia todo. A fila de espera encontra-se em duas semanas.

01 enfermeira: equipe volante.

01 técnico de enfermagem. Toninho.

PROGRAMAS

Puericultura.

Hiperdia: 72.

Idoso: 66.

Vacinas.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Sala de pré consulta junto com a de curativo e puericultura.

Sem banheiro adaptado.

Poço que vaza continuamente, alagando a frente da unidade.

Agua imprópria para consumo.

Rachadura na parede externa, que surgiu na emenda do posto após a perfuração do poço.

Alimentação providenciada pela esposa do técnico, falta carne para todos.

Não tem autoclave.

Sem pias de inox.

Faltam 03 computadores.

Faltam pelo menos mais 04 salas.

Falta o número de consultas.

Dificuldade de comunicação. Necessário de um telefone celular rural.  

 

 

 

ESF – VILA MARIANA

Responsável: Aloma, enfermeira.

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Vila Mariana, Jardim Delmira, Vila Nova, Vila Santana, Vila Fátima, Pousinhos (até a curva do Rio dos Patos), Jardim Copacabana e Loteamento São Basílio.

Número de pacientes cadastrados: 9.000 cadastros individuais e 900 famílias.

 

Na Vila Mariana encontram-se 300 famílias em área de risco.

FUNCIONÁRIOS

01 médico. Doutor Ricardo Ragunetti (concursado), 40 horas, atende 18 pacientes por período, sendo 12 eletivos e o restante emergência/urgência.

02 dentistas, Doutores Cris e Rafael, com horário de 20 horas cada.

02 técnicas, carga horária de 40 horas cada.

01 enfermeira, carga horária de 40 horas (falta capacitação para proceder testes rápidos).

01 auxiliar, carga horária de 44 horas.

Sem estagiário para administração.

PROGRAMAS

Idoso.

Diabetes.

Hiperdia.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

03 agentes comunitários para aproximadamente 300 famílias.

A sala de vacinas encontra-se em bom estado, necessitando apenas da instalação de um aparelho de ar condicionado.

Apenas os enfermeiros passam por curso de capacitação.

O programa da linha guia mãe paranaense apresenta bom funcionamento.

O exame de ultrassom transvaginal não vem sendo realizado.

Com relação ao programa do idoso, os exames são realizados de forma mensal ou bimestral, no Hospital Santa Casa.

Adaptação do banheiro para cadeirantes, inclusive com mudança no sentido de fechamento e abertura da porta.

Cadeira de rodas, a qual quebrou no início do ano.

Tonner para a impressora. 

Computador e ar condicionado na sala odontológica.

Falta o grupo de idosos (aproximadamente 530 de risco).

Central de material mais adequada (usa a sala de curativo).

Mais visitas domiciliares (há 587 famílias em risco e agentes comunitários visitam aproximadamente 300 famílias).

Lavanderia pequena e sem ventilação.

Pia de escovação dentária sem uso.

PIQUIRI

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Piquiri Anta Gorda, Piquiri, Linha Coronel Borba, Barra Grande, São Cirineu, Vista Alegre, Tigre e parcela da população residente nas imediações do Salto São Francisco.

73 idosos.

43 hipertensos.

14 crianças (até 01 ano de idade).

FUNCIONÁRIOS

01 médico. Doutor Celso, atende as segundas e terças feiras, total de 22 consultas por dia.

01 enfermeira, Dulce, da equipe volante, atende duas vezes na semana.

01 técnico/auxiliar de enfermagem.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

O agendamento de consultas não funciona no interior, inclusive porque ninguém sabe o dia em que vai ficar doente. Funciona apenas o agendamento para mostrar os exames para o médico.

Comunicação. Utilizam o orelhão público.

Necessidade de manter o atendimento médico por dois dias semanais (manhã e tarde).

Há aproximadamente dois anos foi construída uma sala a ser destinada a odontologia, contudo não há equipamentos e nem dentista.

Não tem vacinas.

Demora para tratamento fora do domicílio.

Dependem da água de um poço de nascente, pertencente a um morador vizinho e que frequentemente encontra-se sem água. Pelo que se propõe a construção de um poço artesiano, o qual viria a beneficiar a toda a comunidade local.

Além disso, os agentes não possuem material de trabalho, como panfletos de orientação, fichas de assinatura, uniforme ou um simples jaleco e não há reuniões de equipe ou cursos de capacitação.

Atualmente o agente é o responsável pelo agendamento das consultas odontológicas, as quais são realizadas na localidade de Esperança, atendendo de 2 a 5 pacientes por comunidade.

Parte da obra terminada não está sendo utilizada.

Necessário equipar a cozinha.

 

PATOS VELHOS

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Patos Velhos, Ponte Nova, Palmital (parcela), Cadeado Grande (parcela), Linha 15 de Novembro, Taboãozinho, Água Fria, Matão (parcela), Serra de Patos Velhos e Ponte Alta (parcela).

CADASTRADOS

Constam aproximadamente 5.000 nas fichas de arquivo.

PROGRAMAS

Idoso: até outubro de 2017 constavam 135 inscritos.

Diabéticos e hipertensos: ultrapassa o número de 200 pacientes.

FUNCIONÁRIOS

01 técnica em enfermagem. Elza Pastuch, funcionária responsável pela administração do local.

01 médico. O atendimento médico ocorre às segundas e quartas feiras, com 20 a 25 pacientes por dia. O médico é o Doutor Antonio Montana.

No ano de 2017 tiveram os seguintes cursos de capacitação, ministrados somente às enfermeiras:

Sistema do programa IDS, com duração de 02 horas.

Vacinas, com duração de 03 dias no SENAC.

Orientações sobre a linha guia mãe paranaense.

Entende-se que os cursos de capacitação devem ser estendidos aos demais funcionários, em especial, aos técnicos em enfermagem.

Calendário vacinal – mudança por ofício – sobre a Tríplice viral

Sala de vacina ok

No local da sala odontológica foi instalada uma sala de pré atendimento.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Não há entrega de remédios pelo médico. Assim os pacientes devem se deslocar até a sede do Município para retirar os medicamentos na farmácia municipal.

Hipertenso, diabético e anticoncepcional, a técnica dá baixa no sistema.

Anteriormente havia atendimento odontológico duas vezes por semana, com o atendimento de pacientes de aproximadamente 10 pessoas por período.

Equipe para limpeza interna e externa.

Televisão instalada sem funcionar por falta de antena.

Falta telefone fixo, pois não podem utilizar whtsapp e telefone celular para atender pacientes.

A puericultura deixou de ser realizada, porque a lei exige a exclusividade de um enfermeiro.

Queixas acerca dos problemas de interpretação de mensagens enviadas via whatsapp.

Há um único banheiro para pacientes e profissionais.

Na localidade de Taboãozinho não há cobertura de agente comunitário.

RONDA

ÁREA DE ABRANGÊNCIA: Linha Ronda, Linha Inspetor Carvalho, Rio Preto, Linha Dezembro, Barro Preto, Barra Grande e parcela do Centro (da Rua Domingos Luiz de Oliveira até a Universidade).

CADASTRADOS: Número de atendimentos de 3 a 4 mil pessoas.

FUNCIONÁRIOS

01 médica. O atendimento médico ocorre às segundas e quintas feiras, com 10 a 14 pacientes por período. A médica é a Doutora Alliny, do programa mais médicos.

Além disso, o Doutor Fábio presta suporte às quartas feiras, enquanto não ocorre a inauguração do posto da Vila Beraldo.

01 dentista. O atendimento odontológico ocorre às segundas e sextas feiras, em dois períodos, com a demanda de 06 a 12 pacientes por dia. A dentista é a Doutora Maressa.

02 técnicas em enfermagem

01 enfermeira. Maria Inês. Realiza pré natal, preventivos e puericultura.

PROGRAMAS

Orientação sobre a linha guia mãe paranaense está ok.

Programa do idoso ainda sem agenda.

Hipertenso até março do ano que vem.

Puericultura.

Diminuiu a demanda de crianças e gestantes.

Sala da vacinação ok.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Cadeira do dentista com defeito; Estrutura física pequena.

As datas dos cursos de capacitação são informadas via whatsapp e em cima da hora, além de serem ministrados somente às enfermeiras.

Não ocorre a busca ativa do calendário vacinal, porque depende de um agente comunitário e de um veículo de transporte, sendo ambos inexistentes.

Falta aparelho de ar condicionado na sala médica, pois a estrutura é de pré moldado, o que eleva consideravelmente a temperatura ambiente.

Pias de inox, havendo somente pias de louça.

Faltam: cadeira de rodas, impressora para o computador, muro ao redor do imóvel.

Disponibilizar no local os medicamentos para entrega direta aos pacientes, evitando o deslocamento para retirada dos mesmos até a farmácia municipal.

Manutenção dos aparelhos de ar condicionados instalados.

Dedetização em razão de muitos insetos no local.

CURSOS DE CAPACITAÇÃO: Pré natal; Saúde mental - CAPS; Atividades de grupo - CAPS; Oxigenoterapia; Vacinas; Em breve haverá para hanseníase e tuberculose.

 

PALMITAL

            Anteriormente a população residente nesta região era atendida junto a ESF pertencente ao Município de Irati. Havia uma dualidade no atendimento, atendendo ali médicos vinculados à Secretaria Municipal de Saúde de Prudentópolis e outros da Secretaria de Irati.

            Contudo, no ano de 2018 encerrou-se esta parceria e desde então a população local encontra-se sem cobertura.

 

TIJUCO

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Tijuco Preto, Barreiro, Terra Cortada, Marcondes Segunda Linha, Taboão, Taboãozinho, Matão e Água Fria.

CADASTRADOS: Aproximadamente 1.500 no IDS e 3.000 nas fichas de arquivo.

FUNCIONÁRIOS

01 Médico. O atendimento médico ocorre às segundas e quintas feiras, com 20 pacientes por dia. O médico é o Doutor Carlos.

Serviço de odontologia. Está sem atendimento porque o dentista está de licença e provavelmente não irá retornar. O atendimento ocorria às quintas feiras, durante o dia todo.

01 técnico em enfermagem. Isabel.

01 enfermeira. Jéssica, da equipe volante sul.

Agente comunitário de saúde. Não tem, deveria ter quatro.

Serviços gerais. Não tem.

PROGRAMAS

Vacinação: aproximados 80 ao mês.

Puericultura: 200 crianças até 10 anos de idade.

Idoso: 147 (acamados 04).

Hiperdia: aproximadamente 120

Pré natal: 05.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Inadequação física absoluta do posto.

Bolor nas paredes e necessidade de pintura.

A obra de reforma e ampliação iniciou há 03 anos e encontra-se parada. Desde já apresenta graves inadequações.

Dificuldade em desenvolver os programas nos dias próprios por causa da procura que é variada durante o dia.

Lavagem com higienização.

Curativos.

Manter os programas: hiperdia, puericultura, vacinas e idosos.

Faltam 02 computadores.

Caixa d’água sem manutenção e limpeza.

Faltam remédios de fora do programa.

Fossa aberta nos fundos do local.

Vazamento de água no consultório odontológico, inclusive informado através de ofício.

Comprado terreno lateral para expansão do posto, quando o lote atrás pertencia ao Poder Executivo Municipal.

CAPANEMA

Responsável: Madalena, técnica em enfermagem.

Não realiza atendimentos de emergência

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Capanema, Eduardo Chaves, Sete de Setembro, Coronel Borman, Linha Tigre, Barra Grande, Linha Concórdia e Anta Gorda.

CADASTRADOS: Aproximadamente 1.300 pessoas.

FUNCIONÁRIOS

Equipe volante norte.

01 médica. Atendimento às quartas feiras, com 24 consultas ao longo do dia. Dra Laida.

Serviço odontológico. Não há. O atendimento ocorre no posto de Linha Esperança.

01 enfermeira. Luciele, integrante da equipe volante.

01 técnica em enfermagem. Madalena.

01 auxiliar de serviços gerais. Somente as quartas feiras.

PROGRAMAS

Vacinação: não tem.

Puericultura: 15 crianças com até um ano de idade; 60 crianças entre um ano e dez de idade.

Idosos: 105.

Hiperdia: 180.

Pré natal: 02.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Sem local para descarte e acondicionamento de lixo. Implantar local apropriado para o descarte do lixo, inclusive pelos riscos de contaminação, pois o lixo contaminado fica armazenado no banheiro dos pacientes.

Promover a adequação da varanda para evitar o acúmulo de água. Sugestão para promover a drenagem da água é fazer um furo na parede da varanda.

Solicitado uma academia para a Linha Capanema.

Autoclave só funciona com água destilada.

Paredes rugosas.

Vidraças quebradas.

Banheiro dos funcionários: porta que abre para dentro e em cima da pia.

Pias de louça, sendo necessárias de pias de inox.

A equipe volante necessita a disponibilização de um veículo para realizar as visitas domiciliares.

Tuberculose é um problema sério.

Necessidades de melhoria na comunicação.

Instalar rede de wi-fi, pois necessitam de internet e atualmente utilizam rede particular pelo custo mensal de R$ 15,00 (quinze reais).

A ambulância não atende via whatsapp.

Não possui cilindros de oxigênio.

Levantar os fios da bomba d’água.

PAPANDUVA DE CIMA

Em maio de 2018, completará 03 anos do início da reforma.

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Barra das Ordenanças, Rio dos patos, Invernadinha, Barra Branca e Queimadas.

FUNCIONÁRIOS:

01 enfermeira.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Os remédios do programa hiperdia são entregues em “caixa” no Pavilhão da Igreja.

A obra da reforma está sem o telhado e o material é depositado dentro.

Os pacientes vão em busca de atendimento no Papanduva de Baixo ou no centro.

 

 

PAPANDUVA DE BAIXO

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

São Pedro (apenas programa do leite e vacinas), Fazenda Canarinho, Pinhalzinho, Queimadas, e agora Papanduva de Cima.

CADASTRADOS

Aproximadamente 300 pacientes.

FUNCIONÁRIOS

Equipe volante sul.

01 Médico. Atendimento médico as segundas, quartas e sextas feiras, durante o dia todo. O médico é o Doutor Darlei. Nas sextas atende apenas 3 pacientes porque retorna com o carro que vem de Patos Velhos.

Serviço odontológico. Não há. Interrompido em março de 2017. Quando havia a prestação do serviço, atendia-se 07 pacientes pela manhã e 07 pacientes no período da tarde.

01 enfermeira. Jéssica. Apenas na sexta feira.

01 técnico/auxiliar de enfermagem.

02 agentes comunitários de saúde. Um atende Queimadas e o outro Papanduva de Cima.

Serviços gerais - não tem.

PROGRAMAS

Vacinação: aproximadamente 60 ao mês.

Puericultura: 20 crianças com até um ano de idade; 40 crianças maiores de um ano de idade.

Idoso: 119.

Hiperdia: 150.

Pré natal: 05.

Obs. Técnica de Enfermagem Rosicléia da região está lotada na Vila Mariana.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Necessidade de celular rural.

Sem pia de inox.

Sala multiuso: geladeira, cozinha, pré consulta, remédios e curativos.

 

 

BARRA BONITA

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Barra Vermelha, Fazenda Velha Tira Cisma, Antonio Oleato e Barra Bonita. 

CADASTRADOS

1.500 pessoas.

FUNCIONÁRIOS

01 Médica. Atendimento médico as segundas feiras, até as 15:30 horas, 20 consultas por dia. A médica é a Doutora Laida.

Serviço odontológico. Não há. Interrompido em julho de 2017. Quando havia a prestação do serviço, atendia-se duas vezes durante a semana, 10 pacientes por dia. E quem lavava o material era a Irmã.

01 enfermeira. Atende o preventivo e puericultura de crianças de até 01 ano de idade.

01 auxiliar de enfermagem. Irmã Bruna.

01 agente comunitário de saúde. Igor.

PROGRAMAS

Vacinação: somente durante as campanhas.

Puericultura e mega dose de vitamina A para crianças.

Idoso.

Hiperdia.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Autoclave novo não foi instalado; Usa-se a estufa.

Computador não instalado e permanece na caixa.

Pia inox sem torneira na sala médica.

Lixeira sem pedal.

Uma geladeira sem funcionar desde julho de 2017.

A cobertura da unidade precisa ser trocada. Há goteiras na sala de preventivo.

Uma balança de pesagem em condições de funcionamento, e sem utilização.

Banheiro com espaço suficiente para cadeira de rodas, mas não possui barras de apoio instaladas.

Faltam salas para puericultura, inalação, medicamentos e almoxerifado.

Refeições dos funcionários são realizadas no Colégio.

Placa do posto na lateral.

Sem internet.

LIGAÇÃO

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Lajeado Raso, Serra da Gralha, Pimental, Poço dos Anzóis, Ivaí, Boa Vista, Água Quente, Barra das Canoas, Bairro do Jordão, Herval Fraqueza, Ligação, Vitorino, Macacos e São Francisquinho.

Atende emergências da região norte.

CADASTRADOS: Aproximadamente 7.000 pessoas.       

FUNCIONÁRIOS

01 médico. Atendimento médico de segunda a quinta feira, somente no período da tarde, 18 consultas por dia. O médico é o Doutor Rui.

01 odontologista. Carga horária de 40 horas semanais. Atende 18 pacientes por dia.

01 enfermeira. Leandra.

01 técnica em enfermagem. Maria.

02 agentes comunitários de saúdes.

02 auxiliares de serviços gerais.

PROGRAMAS

Vacinação.

Puericultura: teoricamente.

Idoso: 210 (sem reunião do programa).

Hiperdia: 210.

Pré natal: 09 gestantes, sem A.R.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Pintura externa.

Má distribuição dos cômodos.

Material sem uso e em boas condições, alguns pelos corredores (exemplo fototerapia).

Faltam: 03 aparelhos de ar condicionado; termo cautério; fixador de cabeça e suporte lateral para remoção de acidentados; pinças de biópsia; aparelho de Raio X; remédios na transição de licitação.

Dificuldade de exames básicos.

Problema com o uso de agrotóxicos.

Necessário mais dois técnicos em enfermagem e um agente comunitário de saúde (7).

Ambulância inadequada, com balanço, baixa altura, quente (o ar condicionado não funciona), sem possibilidade de comunicação entre o motorista e os ocupantes da parte traseira. Realiza o transporte de funcionários, compras, alimentos e lixo.

Sem local para o acondicionamento do lixo.

Nas segundas feiras, a equipe do plantão encerra às 05:00 AM, sendo que a chegada da outra equipe se dá as 10:00 AM, ficando o posto sem cobertura por um período de 05 horas.

 

JACIABA

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Serra da Esperança, Marrecas de Baixo, Marrecas de Cima, Vila Rural, Jaciaba, Rio Belo, Ivaí Sociedade, Senador Correia, Lageado Raso, Inferninho, São Francisquinho e Vitorino.

CADASTRADOS

Aproximadamente 3.000 pessoas.

FUNCIONÁRIOS

01 médico. Atendimento médico às quartas e quintas feiras, com 15 a 20 consultas por dia. A tarde realiza visitas domiciliares. A médica é a Doutora Patrícia.

Serviço odontológico. Não há. O atendimento ocorre no posto de Ligação.

01 enfermeira. Luana.

02 técnicos em enfermagem.

03 agentes comunitários.

01 auxiliar de serviços gerais, e presta função de cozinheira também.

PROGRAMAS

Vacinação. Quarta pela manhã (vem de Ligação). BCG na cidade.

Puericultura.

Idoso: 80 (03 acamados)

Hiperdia: 150

Pré natal: 12 gestantes, 2 A.R.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Faz seis meses que funciona provisoriamente em uma casa alugada. Por isso, mistura-se local de atendimento com o dormitório da equipe.

Dificuldades importantes com solicitação de exames: não há ponto de coleta. Passagens de ônibus no valor de R$ 56,00 (cinquenta e seis reais), o que dificulta levar e buscar os exames.

O posto anterior está em construção há 04 anos, mas encontra-se verdadeiramente abandonado, sem cobertura e com plantas invadindo as repartições.

Sem identificação e acessibilidade.

Falta de medicamentos e uma farmácia local básica.

Uma única sala para consultório, preventivo e vacinas.

Uma única sala para autoclave, gestantes e quarto de dormir do médico.

Encaminhamentos sujeitos a auditoria.

Funcionários sem uniformes que os identifiquem.

Sem IDS.

Caixa d’água sem limpeza. Ao longo de 13 anos foram realizadas 02 limpezas.

Avaliação da carga horária mais sobreaviso.

Falta um veículo (kangoo) para locomoção e visitas.

Chamou a atenção o grau de improvisação e inadequações. A sala de atendimento de pacientes abriga também o dormitório dos funcionários.

A informação passada é que a reforma do posto original, que mais parece um local abandonado, sem cobertura e com plantas invadindo as salas, está parada há pelo menos quatro anos.

Pergunta-se, o que justifica essas situações?

Recomenda-se:

  1. A equipe não more na casa improvisada, até para somente atender pacientes.
  2. Utilização de ao menos um avental fino, já que na região faz calor durante boa parte do ano.
  3. Redistribuição de salas para o atendimento.
  4. Melhorar o caminho de entrada do posto, logo que atendem muitos idosos.
  5. Urgente retomada da reforma do prédio anterior.
  6. Concerto do veículo da unidade.

 

MARCONDES

Unidade construída há 30 anos e sem placa de identificação.

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Marcondes, Terra Cortada, Ponte Alta, Santo Antonio, Marcondes Primeira, Segunda e Terceira Linhas, Linha Dezembro, Nacar, Brasília, Mauricio, Rio D’Areia e Palmital. Alunos de Patos Velhos e Taboãozinho utilizam somente os serviços odontológicos.

FUNCIONÁRIOS

01 médico, atendimento as terças e quintas feiras, com 12 consultas no período da manhã e 12 consultas no período da tarde.

01 odontologista, Doutor Paulo Ansuti, atendimentos as segundas e sextas feiras, com 16 consultas por dia.

01 enfermeira. Jéssica, as terças e quintas feiras, e realiza preventivos.

01 técnico em enfermagem.

02 agentes comunitários de saúde. Atendem cerca de 120 famílias cada.

Serviços gerais, não tem.

PROGRAMAS

Vacina: não tem.

Puericultura: 82

Idoso: 226

Hiperdia: 106

Pré natal: 04

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Comunicação. Necessidade de um celular rural.

Pintura.

Melhorar os banheiros.

Aumentar o número de salas e providenciar sala de preventivo, consultório médico, almoxerifado e cozinha. Inclusive por não haver cozinha, o dentista e funcionários não dispõem de local para fazerem suas refeições.

Substituir as pias de louça por pias de inox.

Corrosão dos pontos de entrada.

Sem IDS.

Obra do muro inacabada.

O poço localizado abaixo da sala de espera causa infiltração em todas as paredes.

Sem portão e rampa de acesso na entrada.

Manilha na entrada.

Toco de árvore frondosa, próximo ao muro.

Solicitado uma academia ao ar livre e há área disponível ao lado do prédio do posto de saúde.

Banheiro externo destinado ao pacientes encontra-se em situação precária.

Área externa necessita ser capinada.

Carrinho de mão com cimento fica guardado na sala de espera.

LINHA ESPERANÇA

24 anos de existência e não possui placa.

ABRANGÊNCIA

Perobas, Sete de Setembro, Piquiri, São Sebastião, Linha Paraná, Santa Clara, Linha Outubro, Barra Seca, Barra Vermelha e São Sebastião.

CADASTRADOS

Puericultura: 55 crianças com até 05 anos de idade; 110 crianças com até 10 anos de idade.

Idoso: 118.

Hiperdia: 65.

Pré natal: 03.

FUNCIONÁRIOS

01 médico. Atendimento as terças e quintas feiras, com 25 consultas por dia.

01 dentista. Doutor Vilmar. Atendimento as segundas e terças feiras, com 08 consultas por dia. A técnica em enfermagem é responsável pela limpeza dos materiais.

01 enfermeira. Luciele. Atendimento as terças e quintas feiras.

01 técnica em enfermagem. Rita.

02 agentes comunitários de saúde, atendem as regiões de Linha Esperança e Linha Ivaí.

DIFICULDADES/NECESSIDADES

Aumentar o número de salas, em especial uma cozinha, pois no local há somente uma cafeteira e uma panela de arroz e as refeições são preparadas na sala de puericultura e pré natal. Além disso, uma única sala é utilizada para pré consulta, curativos, inalação e lavagem dos materiais.

A louça é lavada em uma torneira de jardim.

O muro foi construído sobre uma fossa. E com as chuvas vem abaixando cada vez mais, voltando os detritos e cheiro pelo vaso sanitário.

Faltam pias de inox.

Construção em laje, o que comporta a construção de mais um andar.

Sem cilindros de oxigênio.

Grande fila de espera na odontologia.

 

 

ATENDIMENTOS REALIZADOS FORA DO MUNICÍPIO

            Demora e filas para marcar consultas com os especialistas, para retornar com os exames e para realizar os exames solicitados, que muitas vezes não estão disponíveis no Município.

            Sugere-se contratar diretamente o profissional por meio de credenciamento. Após a primeira consulta, providenciar com prioridade os exames e deixar o retorno pré agendado por credenciamento.

            Promover mutirão para procedimentos cirúrgicos como adenoamigdalectomia, correção de fimoses e hérnias.

            Viabilizar para que procedimentos com condições de serem realizados no Município, aqui ocorram.

 

 

TAXA DE MORTALIDADE INFANTIL

            Dos fatores de risco identificados: infecção do trato urinário, infecção vaginal, hipotireoidismo, tabagismo e histórico de morte infantil anterior. Metade das mortes se deve às infeções urinárias. Porém, uma parcela significativa de 37,5% não apresentou fator de risco detectável.

            75% dos bebês pesaram menos do que 3 quilos. As más formações congênitas e doenças genéticas estiveram associadas a mais da metade destes bebês. Foram considerados não evitáveis 2,5% deles, por associar quadros de prematuridade, infecção e má formação.

            O período de aumento da taxa de mortalidade também coincidiu com o processo de descentralização do atendimento básico de saúde e implantação da linha guia mãe paranaense, o que nos leva a questionar sobre o processo de instalação em si, pois é comum que se tenham dificuldades sempre que mudanças de rotina são feitas, mas também vale analisar o resultado prático da linha guia no nosso Município.

            Houve uma diminuição de partos ocorridos no Município, pois muitas gestantes foram incluídas nos quesitos alto risco ou risco intermediário, de acordo com as orientações do programa, passando a ser atendidas no Município de Guarapuava.

            A melhor incubadora de transporte para um bebê em sofrimento, em geral é a barriga de sua mãe. Em situações de risco em potencial, a gestante deve ser conduzida a locais mais preparados para recebê-la. Porém, nenhum protocolo deve valer mais do que a decisão do médico responsável pela gestante em momentos inesperados. Daqui sai muitas vezes a diferença entre a vida e a morte.

            Assim sendo, faz-se necessário assegurar vagas para transferência, bem como garantir a remoção prioritária de bebês de 0 a 1 ano de idade.

            Nota-se também que deveria haver prioridade no atendimento dos encaminhamentos médicos, além da necessidade imperiosa em acompanhar e cobrar o funcionamento da puericultura em todas as unidades municipais.

 

 

INSTALAÇÃO DE UM LABORATÓRIO EM LIGAÇÃO

            A região que engloba as localidades de Ligação, Herval e Jaciaba, é densamente povoada. 

            A localidade de Ligação conta com um centro de saúde com profissionais nas áreas médica e de enfermagem, mas não dispõe de laboratório de análises clínicas para auxiliar no diagnóstico médico, tendo seus moradores que se deslocarem até a sede do Município para muitas vezes realizarem exames simples, como parasitológico de fezes, parcial de urina, teste de gravidez, entre outros necessários. Esses exames quando realizados através da rede SUS não incidem nenhum custo financeiro, desde que realizados no laboratório de análises clínicas da Secretaria Municipal de Saúde, situado na sede do Município.

             Considerando a distância destas localidades até a sede do Município, de aproximadamente 75 km, a realização de exames para a grande maioria dos pacientes desta região torna-se inviável. O deslocamento traz um custo financeiro com a passagem de ônibus de ida e volta, a qual custa em média R$ 54,00 (cinquenta e quatro reais). Fretar uma condução torna este custo ainda mais elevado. Em diversos casos há ainda a necessidade de pernoitar na cidade para realizar exames de coleta de material.

            Por se tratar de uma região densamente povoada e distante da sede do Município, é imperiosa a implantação de um laboratório municipal de análises clínicas, para melhor atender a população menos assistida destas localidades.

            Para entender esta necessidade, basta comparar o valor pago por um paciente morador na sede do Município quando da realização de exames laboratoriais de forma particular, com o custo arcado por um morador da citada região interiorana para a realização dos mesmos exames através da rede SUS na sede do Município: os exames parasitológico de fezes e parcial de urina, quando realizados através de laboratórios particulares, custam em média R$ 20,00 (vinte reais) e R$ 25,00 (vinte e cinco reais), respectivamente. Considerando o valor de R$ 54,00 (cinquenta e quatro reais) para a passagem de ônibus de ida e volta, além de uma refeição e eventual pernoite, o paciente de uma região menos assistida paga mais caro para obter um benefício gratuito da rede SUS, do que um morador da sede do Município que utiliza a rede particular.

            Não haveria nenhum custo financeiro adicional para a aquisição de aparelhos e equipamentos para um novo laboratório, pois a Secretaria Municipal de Saúde recebeu novos equipamentos e aparelhos a serem destinados ao laboratório municipal, de modo que os antigos, os quais se encontram em boas condições de uso, poderiam ser destinados a equipar o laboratório de Ligação, se as autoridades municipais assim o quiserem.

            Inclusive, no Centro de Saúde de Ligação, poderia se usar uma sala para a coleta de material e uma sala para o laboratório propriamente dito. Sendo necessário para seu funcionamento apenas a aquisição do mobiliário, como mesas, cadeiras e uma pia de cozinha.

            Quanto aos profissionais para a realização dos exames, a Secretaria deveria contratar um profissional de análises clínicas e um auxiliar de laboratório, cujo custo gira em aproximados R$ 6.000,00 (seis mil reais), variável conforme o número de dias trabalhados na semana.

            Abaixo segue uma lista relacionando os equipamentos e materiais necessários para tanto.

Laboratório

01 microscópio

01 contador de células (três parâmetros)

01 analisador bioquímico semiautomático

01 banho maria

01 centrífuga para oitos tubos de ensaio

01 agitador de kleyne

05 câmaras de neybawer

01 geladeira

01 pia de cozinha

03 mesas com gavetas (fórmica)

02 cadeiras

01 computador com impressora

Obs.: Todos esses aparelhos estão disponíveis junto ao laboratório municipal, portanto sem nenhum custo adicional.

Sala de coleta

01 cadeira para coleta

01 maca

01 mesa

01 armário

Obs.: Este material pode estar disponível na Secretaria Municipal de Saúde.

            Seringas, agulhas, reagentes e demais materiais de manutenção, podem vir da cota do laboratório municipal, pois haverá uma considerável diminuição na quantidade de exames realizados na sede.

            Atualmente são realizados três mil exames por mês, sendo que o custo mensal dos citados materiais é de aproximadamente R$ 2.500,00 (dois mil e quinhentos reais). Novamente ficaria a Secretaria de Saúde com um gasto financeiro mínimo para a manutenção do referido laboratório.  

 

PENSÃO PARA PACIENTES DO MUNICÍPIO

Inadequada para mulheres.

Administradas por uma pessoa do sexo masculino, que atende a tudo praticamente sozinho.

Pintura por retocar.

Bem localizada.

Interesse em pernoite: jantar e café da manhã. Recebe marmita do restaurante Fornalha, as quais foram interrompidas no ano de 2018. O dono da pensão está fornecendo o almoço.

Utilizando-se as dependências do Hospital Sagrado Coração de Jesus para acolher as gestantes, resolve-se a parte maior do problema.

Porém, outras mulheres estarão na dependência da pensão, além de que tanto a pensão quanto as dependências do Hospital Sagrado Coração de Jesus não pertencem ao Município.

 

 

 

UBS CASA DE APOIO

Desativada há cerca de um ano.

Torna-se peça importante no que tange à Saúde do Município, visando a população que mora nas áreas rurais e realiza tratamento fora ou dentro do Município e não tem local para ficar, especialmente gestantes.

O uso da pensão é apenas para pernoite e a despeito do proprietário, carece de apoio.

A Casa de Apoio pertence ao Município, podendo constituir porto seguro a essa porção da população.

Por isso, recomenda-se a reativação da mesma, embora mais impactante na folha de pagamentos, é mais importante na qualidade dos serviços prestados.

Finalmente, nesses tempos em que terapias de prolongamento de vida são cada vez mais aplicadas, gerando um público com necessidades de cuidados especiais, não necessariamente hospitalares, é uma perda não haver mais a casa de apoio, a qual foi projetada justamente para este fim e que provavelmente fará falta em um futuro não muito distante.

 

 

VIGILÂNCIA SANITÁRIA

Equipe de combate à dengue é deficitário, com dificuldade em visitar todos os imóveis necessários.

O Município tem índices de infestação do Aedes epidêmico e por isso os cuidados devem ser constantes.

Lembremo-nos também que o Aedes transmite a chikungunya, o zika vírus e eventualmente a febre amarela. Por isso, faz-se necessário uma equipe permanente de combate ao mosquito, contando com profissionais treinados, inclusive para aplicar o código de vigilância sanitária que não foi regulamentado até o presente momento, a despeito de aprovado como parte da estratégia. Não se pode esquecer das áreas abandonas e necessidade de regulamentação de ferros velhos, em geral, áreas de proliferação  do mosquito.

 

ATENÇÃO PRIMÁRIA

            Aquisição de veículos adequados para prestar serviços de qualidade (visita domiciliar, acompanhamento de puerpérios).

            Reforma e adequações do centrão (pintura, deixar os padrões).

Aquisicação de veículo para o CAPS. Sabemos que um vewículo encontra-se com o tanque furado e outro está com o motor condenado.

CONTRATAÇÃO DE MÉDICOS:

01 clínico geral.

01 cardio (Dr. Padoim sai em maio).

05 médicos exonerados a pedido.

 

SUGESTÕES

A análise realizada de forma ampla acerca do funcionamento da área de saúde no Município, leva a muitas conclusões:

            É de ciência e consenso geral entre funcionários e usuários que o atendimento em saúde pública vem melhorando gradativamente.

            Porém, algumas situações passam além do razoável e deve ser de interesse primordial da gestão a busca pela resolução, até porque muitas destas situações apresentam soluções bem simples, principalmente levando-se em consideração a capacidade e alcance da Secretaria de Saúde.

            Assim sendo, sugerimos:

Fechar o poço localizado em frente ao Posto da Localidade de Cachoeirinha, o qual vem vazando constantemente ao longo de cinco anos. Este vazamento provoca alagamentos na entrada do Posto, fazendo com que o chão do local esteja sempre suj

 
 Galeria de Fotos
 
 Outras Notícias
» CÂMARA REINICIA SESSÕES LEGISLATIVAS EM 07 DE AGOSTO
» TÉCNICA EM ENFERMAGEM RECEBE HOMENAGEM
» EX-PROVEDOR DA SANTA CASA RECEBE HOMENAGEM PÓSTUMA
» PADRES SÃO HOMENAGEADOS PELO TRABALHO REALIZADO NA COMUNIDADE
» REGIÕES DE PAPANDUVA E SÃO PEDRO RECEBEM MELHORIAS
» PROFESSORA E ESCRITORA NÁDIA MORSKEI RECEBE MOÇÃO DE APLAUSOS
VER TODAS
 

Horário de Atendimento: 08:30h às 17:00h - Email: atendimento@cmprudentopolis.pr.gov.br
Telefone: (42) 3446-8600